segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Bóra ser feliz em 2015?

Eu sempre senti como que tinha que mudar alguma coisa na minha vida mas não sabia o que era... até porque sempre achei que não tinha o direito de reclamar de nada, toda vez que parava pra pensar nisso me lembrava de todas as bençãos que Deus derrama sobre minha casa e minha família e não me sentia no direito de reclamar... 

Alem das bençãos que reconheço na minha vida pessoal o meu trabalho é quase que um privilégio, além de me proporcionar o contato com pessoas espetaculares, num ambiente agradável, me possibilita fazer o que gosto e ainda me disponibiliza chocolates quase o tempo todo (talvez a pior parte).

Tenho uma amiga de trabalho Miriam Cândido que sempre comenta que causa uma certa inveja aos amigos quando comenta que o privilegio de chegar as 8 da manhã sentindo cheiro de chocolate é indescritível! Sabe que nunca havia parado pra pensar nisso? 

Outro dia estava chegando no trabalho amassada depois de passar quase 1 hora dormindo no fretado... e senti um cheiro de caramelo que foi se misturando com cheiro de chocolate derretido hummmm, na hora eu me lembrei da Miriam e finalmente entendi o que ela disse.

Além do cheirinho ser bom nada se compara ter um chocolate a mão toda vez que aquela necessidade feminina de comer um chocolate aparece.... a balança cobra isso com juros depois mas...

Voltando ao assunto da necessidade de mudança.

Pensei comigo mesma: se eu sei que tudo está tão bem então porque sinto como se faltasse alguma coisa? O mais engraçado é que sempre achamos que falta alguma coisa - aí pegamos o cartão e corremos ao shopping, mas o que eu percebi é que no meu caso sobrava coisas, pior que não estou falando das gordurinhas a mais, to falando de coisas que não me pertencem mas são de outras pessoas e não to falando da vasilha tupperware da sua mãe nem do casaquinho da amiga não!

No meu caso eu percebi que mesmo intencionalmente eu carrego coisas que não me pertencem. Vi como tem muita coisa dos outros em mim e na minha vida e quase nada de mim mesma, quase nada do que eu quero ou do que eu acredito! 

De repente olhei no espelho e pensei: quem é você? quais as coisas que te fazem feliz? que tipo de roupa você gosta? como você gosta do seu cabelo?

Bom, como estou aqui pra compartilhar experiências, a primeira coisa que fiz foi mudar a imagem do espelho e deixar de arrumar meu cabelo de acordo com as regras dos outros e voltei as raízes voltei a ter cabelos escuros como sempre foram e assumi os meus cachos. (já comentei isso no outro post mas queria dizer porque mudei).

Estou muito bem comigo mesma, me sentindo mais forte, decidida, estou amando a experiência. Mas fico pensando em que momento deixei de ser eu, de viver as coisas que gosto, de usar o cabelo como sempre usei e vi que foi quando passei a cuidar da vida dos outros.

Já viu como geralmente sabemos TUDO da vida dos outros? Menina se brincar sabemos mais dos outros do que eles mesmo kkkk, como é gostoso cuidar da vida dos outros, dar palpite na vida alheia, sabe qual o problema disso? Paramos de olhar para o que realmente interessa... a nossa vida. E pior, esquecemos que os outros também gostam de cuidar da vida alheia e dessa vez eles podem estar cuidando da nossa vida... ou seja, se eu não cuido da minha vida pra cuidar da dos outros e outros não cuidam da vida deles pra cuidar da minha.... vixi!

Faça as pazes consigo mesma, com suas origens, suas raízes, com Deus. Não deixe que o mundo, as modinhas ou que os outros ditem as regras da sua vida e a da sua família. Seja quem você é e peça a Deus discernimento para entender qual a vontade Dele na sua vida e aproveite tudo aquilo que Ele preparou para você e seja MUITO feliz!  

Então... topa o desafio? em 2015, bóra ser feliz consigo mesma?